Pular para o conteúdo principal

Os X-Men enfrentam Thor, o viking!

Mais uma história local dos X-Men, roteiro de Gedeone Malagola e desenhos de Walter S. Gomes, publicada em Edições GEP #8, 1969. A história apresenta uma curiosa história onde os X-Men enfrentam uma versão alternativa do Thor, lembrando as séries What If?, conhecida no Brasil como O que aconteceria se…?, histórias que se passam em universos alternativos. O Thor já havia aparecido em quadrinhos anteriores aos da Marvel, sendo inclusive mostrado pela concorrente DC, curiosamente, Jack Kirby planejou que sua série Novos Deuses tivesse começo em histórias de Thor na Marvel. Curiosamente, a própria GEP havia mostrado Thor em um crossover com os Vingadores publicada na terceira edição da revista.





Os X-Men enfrentam Thor, o Viking edições gep #8
















Ver também

Heróis Marvel e DC em quadrinhos made in Brazil


Links

Entre Balões: Para entender DARKSEID e OS NOVOS DEUSES! Como a saga de Jack Kirby mudou os Quadrinhos

Mais uma leva de O Que Aconteceria Se?

Thor: The Oldest Avenger

Thor - Public Domain Super Heroes

Thor, God of Thunder - 1940 - Pierce George Rice


O primeiro artigo em língua inglesa sobre os X-Men da GEP


Grandes Histórias da Marvel no Brasil: Os X-Men Brasileiros

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O mangá da série Fundação de Isaac Asimov

Isaac Asimov (1919-1992)  foi um dos escritores de ficção científica mais prolíficos de todos os tempos, formado em bioquímica, também foi um conhecido divulgador científico.

Em 1939, começou a publicar em revistas pulps, histórias de robôs, que logo se tornariam conhecidas por causa das Três Leis da Robótica, criadas por ele e o editor John W. Campbell, em 1942,  iniciou uma nova série chamada Foundation (Fundação em português), inspirado no livro The History of the Decline and Fall of the Roman Empire (A História do Declínio e Queda do Império Romano) de Edward Gibbon.

Inicialmente, a série eram apenas oito contos publicados entre 1942 e 1950 na revista Astounding Magazine (antes chamada de Astounding Magazine e atualmente conhecida como Analog Science Fiction and Fact), na série, o matemático Hari Seldon cria a psico-história, um misto de matemática, sociologia e história para fazer previsões futuras.



Em 1950, Asimov publica seu primeiro romance completo, Pebble in the Sky (No Bras…

Lanterna Verde por Gedeone Malagola

História descoberta por Ranieri Andrade do Museu dos Gibis, história do Lanterna Verde produzida por Gedeone Malagola para a DC Comics, a história foi recusada, mas o autor enviou uma cópia ao fanzineiro Valdir de Amorim Dâmaso (falecido em novembro 2014), famoso pelos fanzines de seu selo Gibizada, o roteiro foi ilustrado pelo próprio Malagola, podendo servir como uma espécie de storyboard.

Como se sabe, Malagola criou seu herói Raio Negro inspirado na origem do Lanterna Verde da Era de Prata, Hal Jordan e no visor usado pelo vilão Slits da tira Terry e os Piratas de Milton Caniff, segundo ele:

“Aí, Jayme Cortez, excelente capista e péssimo diretor de arte, entregou-me um maço de quadrinhos do Lanterna Verde, Adam Strange e outros. ‘Olhe, Gedeone, faça uma cópia do Lanterna verde e do Flash. Quero um herói nessa base’, disse ele. Eu respondi: ‘Não vai dar galho isso?’ ‘Dá nada, jamais esses heróis serão lançados no Brasil. Faça algo rápido!’ foi a resposta de Cortez.” Fonte: Revista M…

Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia

Como se sabe, a Itália é a maior produtora de quadrinhos Disney pelo mundo, contudo, as primeiras histórias produzidas no país não eram oficiais, as tiras originais estrearam em março de 1930 no Illustrazione del popolo , um suplemento do jornal Gazzetta del Popolo, entre abril e agosto de 1931, o jornal Il Popolo di Roma publicou pranchas de Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia. Guastaveglia fez crossovers do Mickey e Minnie (chamados de Topolino e Topolina, topolino é um nome dado ao rato doméstico ou camundongo) com Gato Félix (Mio Miao) e usou Kat Nipp (Gatto Nipp), um vilão dos primeiros curtas do Mickey que era usado nas tiras por Floyd Gottfredson, o nome é alusão a catnip, erva do gato, o personagem lembra as primeiras versões de  Peg Le Pete (Bafo no Brasil), porém, Pete estreou em Alice Solves the Puzzle de 1925 da série  Alice Comedies (ou seja três anos antes do próprio Mickey), Kat Nipp estreou num curta do Mickey, The Opry House de 1929.


Mickey contracenando com Minni…