Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2017

Bravestarr em lianhuanhua

Lianhuanhua é um tipo de livro chinês que cabe na palma da mão, nele são publicadas histórias de arte sequencial, podendo ter legendas e até balões, é considerado o precursor dos quadrinhos chineses (chamados de manhua) surgido no início do século XX. O formato lembra os Big Little Books ou tijolinhos como ficaram conhecidos no Brasil, embora os Big Little Books tivesse mais textos. Também lembra formato talão de cheque dos quadrinhos italianos (fumettis) onde surgiu o cowboy Tex Willer da Bonelli, embora esses tivesses três tiras por página, na Itália é chamado de formato a striscia, literalmente, formato de tiras (por conta do uso de três tiras que remetem as tiras diárias).


Bravestarr foi uma série animada do gênero faroeste espacial (um misto de space opera com o faroeste) da Filmation, conforme comentei no outro blog, teve quadrinhos nos Estados Unidos, Itália e até mesmo no Brasil.


Eis que encontrei essa inusitada versão em lianhuanhua, muito provavelmente pirata, tal como fize…

Os quadrinhos de Caverna do Dragão

Em 1983, a Marvel Productions lançou uma adaptação animada do primeiro RPG de mesa da história, Dungeons and Dragons. A empresa foi formada em 1981, após a Cadence Industries Corporation (dona da Marvel na época), comprar o estúdio DePatie-Freeleng.

A série foi criada após a CBS recusar o projeto Sword and Sworcery da própria Marvel Productions, a solução foi conseguir uma licença com a TSR Inc, a editora ainda lançaria adaptações de Conan, tanto em adaptações para D&D (1984), quanto em um sistema próprio (1985), na época, licenciado pela Marvel e Marvel Super Heroes RPG (1984), que usava um sistema próprio chamado FASERIP system.

A série teve 27 episódios distribuídos em 3 temporadas.

Nos Estados Unidos, a série gerou diversos produtos licenciados, exceto revistas em quadrinhos, embora em 1981, a própria Marvel havia publicado anúncios do RPG Dungeons and Dragons em forma de páginas de quadrinhos (assim como ocorreu com G.I. Joe, que anos depois, ganharia uma revista pela própri…

O mangá da série Fundação de Isaac Asimov

Isaac Asimov (1919-1992)  foi um dos escritores de ficção científica mais prolíficos de todos os tempos, formado em bioquímica, também foi um conhecido divulgador científico.

Em 1939, começou a publicar em revistas pulps, histórias de robôs, que logo se tornariam conhecidas por causa das Três Leis da Robótica, criadas por ele e o editor John W. Campbell, em 1942,  iniciou uma nova série chamada Foundation (Fundação em português), inspirado no livro The History of the Decline and Fall of the Roman Empire (A História do Declínio e Queda do Império Romano) de Edward Gibbon.

Inicialmente, a série eram apenas oito contos publicados entre 1942 e 1950 na revista Astounding Magazine (antes chamada de Astounding Magazine e atualmente conhecida como Analog Science Fiction and Fact), na série, o matemático Hari Seldon cria a psico-história, um misto de matemática, sociologia e história para fazer previsões futuras.



Em 1950, Asimov publica seu primeiro romance completo, Pebble in the Sky (No Bras…

Os quadrinhos de Billy the Kid na revista britânica The Sun

Billy the Kid (1859 - 1881) foi um fora da lei do Velho Oeste, nascido Henry McCarty, também foi conhecido como William H. Bonney, Henry Antrim e Kid Antrim, tal como diversas figuras do Velho Oeste americano, existem várias lendas sobre Billy the Kid, uma delas que teria matado um homem para cada ano de vida. Billy foi retratado diversas versas no cinema, quadrinhos entre outras mídias, podendo ser mostrado como bandido ou como um herói. Algo que aconteceu com o fictício Cisco Kid, criado pelo escritor O' Henry.

Esse é o caso dessa versão em quadrinhos, publicada entre 1952 e 1959 na revista The Sun da Amalgam Press, com roteiros de  Mike Butterworth e desenhos de Geoff Campion, Don Lawrence (conhecido por ilustrar a série de fantasia científica Storm), Harry Bishop e Alejandro Blasco (irmão de Jesús Blasco, criador do herói juvenil Cuto).

Inicialmente, essa versão de Billy the Kid lembra muito o cowboy Lone Ranger, a série tinha o subtítulo Lone Avenger. Billy era um cowboy masc…

Os quadrinhos franco-belgas de Lucky Starr, série juvenil de Isaac Asimov

Em 1951, o agente literário e escritor Frederik Pohl e o editor Walter Bradbury procuraram Isaac Asimov e sugeriram que ele criasse uma série infanto-juvenil para ser adaptada para a televisão, temendo ficar marcado por essa série, o escritor resolveu usar o pseudônimo Paul French (Paul francês em português), a série foi inspirada em Lone Ranger e o primeiro livro lançado no ano seguinte com o título David Starr, Space Ranger (As Cavernas de Marte no Brasil) pela Doubleday, em 1953, lançou Lucky Starr and the Pirates of the Asteroids, contudo, a série de TV nunca foi lançada, uma vez que em 1954 surgia a série de TV  Rocky Jones, Space Ranger, que inviabilizou o projeto.





O primeiro romance foi uma espécie de space western ou faroeste espacial, sendo inspirado no Lone Ranger, o personagem David Starr (cujo apelido era Lucky) usava inclusive uma máscara e era conhecido como Space Ranger, o romance foi ambientado em Marte, embora fosse uma obra juvenil, a descrição do planeta Vermelho foi…

Blade por Takashi Okazaki

Em 2004, foi lançado o filme Blade: Trinity pela New Line Cinema, trata-se do último filme de uma trilogia do personagem Blade, o caçador de vampiro da Marvel, estrelados pelo ator Wesley Snipes entre 1998 e 2004. no mesmo ano, foi lançado a trilha sonora do filme, uma versão deluxe trouxe como brinde um mangá por Takashi Okazaki, criador do mangá Afro Samurai, lançado em 1998 no dōjinshi Nou Nou Hau. Afro Samurai ganhou um anime dublado por Samuel L. Jackson, que também foi um dos produtores do anime.


Tanto Blade, quando Afro Samurai foram inspirados nos filmes blaxploitation, filmes criados por negros para negros.




Em 2012, Okazaki foi um dos character designers do anime dos X-Men, produzido pela Madhouse, a produtora também produziu uma série do Blade, sem participação do artista.



Referências e links úteis




Blade: Trinity Soundtrack Hits Hard
Takashi Okazaki
A Tumba de Dracula, Tom Field
Blaxploitation And Pop Culture


























































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































































Marvel made in Itália

Superman por Jijé

Em abri de 1938, a editora belga Dupuis lançou a revista Le Journal de Spirou, a série principal era Spirou, personagem criado por Rob-Vel, publicando também séries americanas de Dick Tracy de Chester Gould, Rei da Polícia Montada, ilustrada por Allen Dean, com roteiros de Stephen Slesinger e Romer  Grey, filho do escritor de faroeste Zane Grey, Slesinger havia conseguido a licença para usar o nome do escritor, dando impressão de ser uma criação do mesmo.

Em 1939, a editora começou a publicar Superman por Jerry Siegel e Joe Shuster e Red Ryder, outra série cocriada por  Slesinger  com colaboração do desenhista Fred Harman, devido a semelhança de Red Ryder com Bronc Peeler, outra criação de Harman, ambos tinham o mesmo sidekick, o jovem índio Little Beaver (Filhote de Castor no Brasil), contudo, havia uma diferença, Bronc Peeler era um "cowboy moderno" como o Vigilante da DC Comics e alguns dos filmes estrelados por Gene Autry.

Apesar dessas diferenças temporais, esses perso…

Betty Boop por Shigeru Sugiura

Criada por Max Fleischer e Grim Natvick, Betty Boop surgiu em animações em 1930 na série Talkartoon do Fleischer Studios.

 Betty foi muito popular no Japão e aparecia em cartões menko e mangás, obviamente não oficiais, é o caso dessa página por Shigeru Sugiura de 1935, o sucesso da personagem chegou aos ouvidos do estúdio, foi quando produziram o curta A Language All My Own, onde Betty viaja ao Japão e vestida com um kimono, canta uma canção em japonês.







Em diversos livros é dito que Betty Boop teria inspirado os olhos grandes dos personagens dos mangás, a comparação mais comum é de Betty com a Princesa Safiri, personagem de Osamu Tezuka, contudo, Sugiura foi assistente de Suihō Tagawa, autor do gato Norakuro (1931-1981), personagem já que possuía olhos grandes.

Tezuka nunca declarou ser fã da personagem, mas era fã do Popeye, personagem das tiras de E. C. Segar que estreou nos cinemas em um curta de Betty Boop produzido em 1933 pelo Fleischer Studios, um outro dado é que Grim Natvick…

Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia

Como se sabe, a Itália é a maior produtora de quadrinhos Disney pelo mundo, contudo, as primeiras histórias produzidas no país não eram oficiais, as tiras originais estrearam em março de 1930 no Illustrazione del popolo , um suplemento do jornal Gazzetta del Popolo, entre abril e agosto de 1931, o jornal Il Popolo di Roma publicou pranchas de Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia. Guastaveglia fez crossovers do Mickey e Minnie (chamados de Topolino e Topolina, topolino é um nome dado ao rato doméstico ou camundongo) com Gato Félix (Mio Miao) e usou Kat Nipp (Gatto Nipp), um vilão dos primeiros curtas do Mickey que era usado nas tiras por Floyd Gottfredson, o nome é alusão a catnip, erva do gato, o personagem lembra as primeiras versões de  Peg Le Pete (Bafo no Brasil), porém, Pete estreou em Alice Solves the Puzzle de 1925 da série  Alice Comedies (ou seja três anos antes do próprio Mickey), Kat Nipp estreou num curta do Mickey, The Opry House de 1929.


Mickey contracenando com Minni…