domingo, 15 de janeiro de 2017

Os quadrinhos mexicanos de Conan


Conan, o bárbaro é o personagem de uma série literária criada pelo escritor americano Robert E. Howard e publicado entre 1932 e 1936 na revista pulp Wierd Tales, como se sabe, em 1970, a Marvel inciou a publicação de uma adaptação em quadrinhos, com roteiros de Roy Thomas e desenhos de Barry Windsor-Smith,, John Buscema, Ernie Chan, Alfredo Alcala, entre outros, o que pouca gente sabe, é que o personagem havia tido quadrinhos não-oficiais no México nas décadas de 1950 e 1960.


Em 1952, a revista Contos de Abuelito (uma revista no formato 14 x 11 e em preto e branco) iniciou em sua oitava edição, uma quadrinização do conto Queen of Black Coast, escrita por  Loa Rodriguez e Victor Rodriguez com desenhos de Salvador Hermoso Lavalle e capa de Hecky (Héctor Gutiérrez),  adaptação foi publicada até a edição 12, na edição 14, a revista continuou a publicar a história. a série foi publicada junto com a séries Kunga la diosa de oro (uma garota das selvas parecida com a Sheena) e La Aranhã (baseada no personagem dos pulps) até a penúltima edição (#60), publicada em 1953.

Em 1958, a série retorna em revista solo pela Ediciones Mexicanas Asocidas, a revista é publicada até o ano seguinte e dura 11 edições, entre 1965 e 1966, é publicada pela Ediciones Joma, totalizando 53 edições.



A série tomava algumas liberdades na história e na retratação dos personagens, Conan por exemplo é loiro e usa um capacete com chifres (um ornamente erroneamente associado com os vikings graças a ópera O Anel de Nibelungo). Na história, Conan é um mero coadjuvante, a personagem principal é Bêlit, a rainha pirata do título, o protagonismo de Bêlit na série antecede a criação da personagem Red Sonja, que ao contrário do que muitos pensam, não foi criada por Robert E. Howard, a criação da personagem é creditada a Roy Thomas e Barry Windsor Smith, vagamente baseada em Red Sonya of Rogantino, personagem do conto Shadow of Vulture de Howard, que se passa no século XVI, nos pulps, o pioneirismo é atribuído a Jirel of Joiry, personagem da escritora C. L. Moore.


Adaptação de O anel de Nibelungo publicada na revista O Tico-Tico#2033 (abril de 1955), autor não-creditado.

Embora seja anterior a série da Marvel, La reina de la Costa Negra não é a primeira HQ do gênero sword and sorcery (espada e feitiçaria ou espada e magia), uma série apontada como pioneira é a conanesca Crom the Barbarian de Gardner Fox, lançada em 1950 pela editora Avon Comics, Fox pegou o nome da divindade criada por Howard e adicionou no seu bárbaro, a série foi publicada em Out of This World #1-2 e Strange Worlds #1-2, contudo, há quem diga que séries anteriores já possuíam elementos que podem ser associados com o gênero, como Príncipe Valente de Hal Foster, Fox escreveu para a revista Weird Tales nos anos 70 e contribuiu com o gênero nos anos seguintes, entre 969 e 1970, publicou a série do bárbaro Kothar, uma história de Kothar, Kothar and the Conjurer's Curse, foi adaptada como HQ de Conan em Conan the Barbarian #46 (1975), escrita por Roy Thomas com desenhos de John Buscema, Joe Sinnott, Dan Adkins e Dick Giordano, na Marvel, Fox também é creditado em uma história de Thongor of Lemuria publicada nas edições 2 e 27 da revista Creatures on the Loose (1973-1974). Thongor foi outro bárbaro conanesco (com elementos de John Carter de Marte) criado por Lin Carter em 1966, posteriormente, Carter e L. Sprague de Camp daria continuidade as histórias de Conan nos livros da Ace Books, curiosamente, Roy Thomas chegou a cogitar publicar Thongor ao invés de Conan, Thongor acabou sendo publicado após o sucesso de Conan. a revista  ainda publicou Kull of Atlantis (que originalmente era um protótipo de Conan, tornando-se um ancestral) e Gullivar Jones, um personagem que antecede John Carter no gênero sword and planet, John Carter seria publicado pela editora em 1977, após conseguir a licença de Tarzan, a editora pode explorar também outras criações de Burroughs. outras séries Fox no gênero são Kyrik (1975) e Niall of the Far Travels (1976-1981) para a revista Dragon da TSR, a  mesma que lançou o RPG de mesa Dungeons and Dragons,não por acaso, as histórias de Howard, Fox, Lin Carter, Burroughs, de Camp, entre outros escritores de fantasia e ficção científica foram citadas por Gary Gygax  (cocriador de D&D) como influências na criação do jogo, na década de 1980, a TSR publicou adaptações de Conan e Red Sonja graças aos filmes.


Em 2014, a Boardman Books publicou Lurid Little Nightmare Makers #2, editada por Matthew Gore, teve histórias de Crom, capas de La Reina de la Costa Negra, contos de Konar the Macedonian (série de contos ilustrados ou text stories publicados pela Quality Comics em 1938), atualmente essas histórias encontram-se em domínio público.



Links

A Rainha da Costa Negra (traduzida)


A Reader's Guide to Sword & Sorcery Comics


A Reader's Guide to Sword & Sorcery D-F


Crom The Barbarian: The First True S&S Comic

Conan [MEX]

Crom, The Barbarian - Public Domain Super Heroes

La Reina de La Costa Negra - Tebeosfera

Thongor - Appendix to the Handbook of the Marvel Universe

Lurid Little Nightmare Makers: Volume Two: Comics from the Golden Age Paperback – May 15, 2014


If You Blinked You Missed: Thongor, Warrior of Lost Lemuria


Conan the Barbarian: First Time in Comic-Book Form!

Lurid Little Nightmare Makers #2 [2nd printing]

A trajetória da imagem de “Conan, o Bárbaro” em mídias diversas: da literatura pulp até os quadrinhos Marvel dos anos 70

Por Crom! Conheça o verdadeiro Conan da Ciméria

Konar the Macedonian

Nenhum comentário:

Postar um comentário