Pular para o conteúdo principal

O mangá da série Fundação de Isaac Asimov

Isaac Asimov (1919-1992)  foi um dos escritores de ficção científica mais prolíficos de todos os tempos, formado em bioquímica, também foi um conhecido divulgador científico.

Em 1939, começou a publicar em revistas pulps, histórias de robôs, que logo se tornariam conhecidas por causa das Três Leis da Robótica, criadas por ele e o editor John W. Campbell, em 1942,  iniciou uma nova série chamada Foundation (Fundação em português), inspirado no livro The History of the Decline and Fall of the Roman Empire (A História do Declínio e Queda do Império Romano) de Edward Gibbon.

Inicialmente, a série eram apenas oito contos publicados entre 1942 e 1950 na revista Astounding Magazine (antes chamada de Astounding Magazine e atualmente conhecida como Analog Science Fiction and Fact), na série, o matemático Hari Seldon cria a psico-história, um misto de matemática, sociologia e história para fazer previsões futuras.



Em 1950, Asimov publica seu primeiro romance completo, Pebble in the Sky (No Brasil: 827 Era Galáctica ou Pedra no Céu), iniciando uma nova série, a série Empire ou Galactic Empire (Império ou Império Galático), embora tendo sido publicado primeiro, esse romance seria o terceiro e último da série, os dois primeiros são: The Stars, Like Dust (1951) e The Currents of Space (1952), ao longo dos anos, Asimov iria unificar tanto a série Império, quanto a série Robôs como parte da série Fundação (bem como a inclusão das leis da robótica em sua série juvenil Lucky Starr).

"Pebble in the Sky" e "The Kingslayer" na revista  Two Complete Science-Adventure Books da Fiction House, capa de Allen Anderson

Em 1989, foi publicado o livro Foundation's Friends, uma antologia de contos escritos por outros autores de ficção científica como Ray Bradbury, Robert Silverberg (um antigo colaborador de Asimov), Frederik Pohl, Poul Anderson, Harry Turtledove, e Orson Scott Card.

Com a morte do escritor em 1992, outros autores foram autorizados a escrever novas histórias,  entre eles estavam, Greg Bear, Roger MacBride Allen, David Brin, Gregory Benford, Mark W. Tiedemann, Mark W. Tiedemann, Donald Kingsbury e Mickey Zucker Reichert.

Em 2014, foi noticiado que o canal por assinatura HBO está produzindo uma série baseada em Fundação.



O mangá

Em 2012, a editora Seldon Project (uma clara homenagem ao personagem da série) anunciou um mangá baseado em Fundação, seu nome é Ginga Teikoku Kouboushi (A História da Ascensão e Queda do Império Galático, um dos nomes da série no país). O mangá teve três volumes publicados entre 2013 e 2016, ilustrado por Uzuki e Kamazuki Keitarou.




                           




Também em 2012, o conto The Last Question ( A Última Pergunta no Brasil) teve uma quadrinização pelo coreano Ryul no formato webtoon, um formato coreano de webcomics.

Versão traduzida para o português

Ver também

Animes baseados em franquias ocidentais de ficção científica

Duna por Shotaro Ishinomori e Ryoichi Ikegami

Fontes e referências

Scientific American Brasil Exploradores do Futuro 3 - Isaac Asimov

Site oficial do mangá

Isaac Asimov’s ‘Foundation’ Series Manga Adaptation

Ginga Teikoku Kouboushi - Baka-Updates Manga

Isaac Asimov's The Foundation Sci-Fi Novels Get Manga

Guia de Leitura | O Universo de Isaac Asimov - O Vício

Eu, Asimov - A obra de Isaac Asimov em português



Isaac Asimov além da robótica!

A Space Opera - Ficções Humanas

Comentários

  1. Mano, bom trabalho com o blog. Eu amo essa trilogia.

    ResponderExcluir
  2. Não sei se você já colocou no seu blog, mas teve uma história oficial do homem aranha produzida no Brasil mais ou menos no ano 2000, na época das revistas premium da abril. Ela foi publicada no finado site oficial da marvel no Brasil, marvelcomics.com.br, que era parte do portal zipkids (aqui uma versão dele no archive; http://web.archive.org/web/20011129045015/http://marvel.zip.net:80/). Se não me falha a memória, era uma história em que o homem-aranha vinha para o Brasil, atendendo a uma carta que um menino brasileiro mandava para ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Kleber, não conhecia, vou atualizar o post no Quadripop, http://quadripop.blogspot.com/2014/09/herois-marvel-e-dc-em-quadrinhos-made.html e mencionar sua colaboração, acabei de encontrar uma matéria da Folha da mesma época, https://www1.folha.uol.com.br/fsp/folhatee/fm1203200113.htm entrei no arquivo do site, mas não consegui ler, vou tirar print do site e postar.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Mandrake - Aventura no Reino Submarino

História do Mandrake publicada pela RGE (Rio Gráfica Editora), escrita por Elias Barrocas e ilustrada por Evaldo de Oliveira publicada em Mandrake #180 (1971), o Príncipe Submarino dessa história lembra Flash Gordon, outro personagem da King Features, Mandrake e Flash trabalhariam juntos na série de TV Defensores da Terra e nas HQs Kings Watch e Kings Quest, publicadas pela Dynamite.








Links

Mandrake Wikia

Reused Character Design - TV Tropes

Defensores da Terra: Fantasma, Mandrake e Flash Gordon em 2015

Dynamite: Defensores da Terra se reúnem em Kings Quest

Os quadrinhos de Caverna do Dragão

Em 1983, a Marvel Productions lançou uma adaptação animada do primeiro RPG de mesa da história, Dungeons and Dragons. A empresa foi formada em 1981, após a Cadence Industries Corporation (dona da Marvel na época), comprar o estúdio DePatie-Freeleng.

A série foi criada após a CBS recusar o projeto Sword and Sworcery da própria Marvel Productions, a solução foi conseguir uma licença com a TSR Inc, a editora ainda lançaria adaptações de Conan, tanto em adaptações para D&D (1984), quanto em um sistema próprio (1985), na época, licenciado pela Marvel e Marvel Super Heroes RPG (1984), que usava um sistema próprio chamado FASERIP system.

A série teve 27 episódios distribuídos em 3 temporadas.

Nos Estados Unidos, a série gerou diversos produtos licenciados, exceto revistas em quadrinhos, embora em 1981, a própria Marvel havia publicado anúncios do RPG Dungeons and Dragons em forma de páginas de quadrinhos (assim como ocorreu com G.I. Joe, que anos depois, ganharia uma revista pela própri…

Os mangas de Tarzan