Pular para o conteúdo principal

Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia


Como se sabe, a Itália é a maior produtora de quadrinhos Disney pelo mundo, contudo, as primeiras histórias produzidas no país não eram oficiais, as tiras originais estrearam em março de 1930 no Illustrazione del popolo , um suplemento do jornal Gazzetta del Popolo, entre abril e agosto de 1931, o jornal Il Popolo di Roma publicou pranchas de Mickey Mouse por Guglielmo Guastaveglia. Guastaveglia fez crossovers do Mickey e Minnie (chamados de Topolino e Topolina, topolino é um nome dado ao rato doméstico ou camundongo) com Gato Félix (Mio Miao) e usou Kat Nipp (Gatto Nipp), um vilão dos primeiros curtas do Mickey que era usado nas tiras por Floyd Gottfredson, o nome é alusão a catnip, erva do gato, o personagem lembra as primeiras versões de  Peg Le Pete (Bafo no Brasil), porém, Pete estreou em Alice Solves the Puzzle de 1925 da série  Alice Comedies (ou seja três anos antes do próprio Mickey), Kat Nipp estreou num curta do Mickey, The Opry House de 1929.


Mickey contracenando com Minnie, Félix e Kat Nipp

Kat Nipp por Floyd Gottfredson





Possivelmente por problemas com direitos autorais (Félix atualmente pertence a Dreamworks Classics, uma empresa do grupo NBCUniversal), consideram Mio Mao como sendo Julius, um gato parecido com Félix que estreou nos curta da série Little Red Riding Hood de 1922 da série Alice Comedies, sendo um inimigo de Pete, no encadernado Walt Disney's Mickey and the Gang publicado pela Gemstone em 2005, o gato aparece na cor verde. Julius não é o único que se parece com Félix, Ortensia e seu irmão Homer também guardam semelhanças com o gato criado por Otto Mesmer e Pat Sullivan, Ortensia (chamada de Sadie nos projetos originais) era namorada de Oswald the Lucky Rabbit (Coelho Osvaldo), Oswald foi criado em 1927 por Walt Disney e Ub Iweks, contudo, a dupla acabaria perdendo os direitos para a Universal no ano seguinte, sendo até produzido por Walter Lantz, em 1935, Oswald sofreu um redesign  por Manuel Moreno membro da equipe de Lantz, baseado no coelho do curta "Fox and the Rabbit", lançado no mesmo ano. Ortensia chegou a ser usada pela Universal, mas foi  chamada de Fanny, nome de uma namorada anterior de Oswald, que também era uma coelha, A dupla teve que criar um novo personagem, surgiu então Mckey Mouse, Homer chegou a aparecer no curta Mickey's Orphans e em tiras de jornal por Floyd Gottfredson, as primeiras tiras do Mickey foram desenhadas por Ub Iwerks com roteiros do próprio Walt Disney, no mesmo ano, após sair do estúdio e fundar uma própria companhia, foi substituído por Win Smith, que também ficou por um curto período,   Gottfredson, ficou de 1930 até 1975 desenhando o personagem. Em 1999, a Universal fez uma nova série do Pica-Pau, o visual antigo Oswald foi usado em licenciamento, mas não apareceu na série de TV, mas chegou a aparecer em quadrinhos. Em 2006, Oswald volta para a Disney, após um acordo pelo contrato do locutor esportivo Al Michaels, que saaiu do ABC Sports da Disney, para o NBC Sports da  NBCUniversal.

Julius em Alice Gets Stung (1925)
                                 

Ortensia

Voltando a Itália, os quadrinhos de Mickey voltariam a ter produção em 1932, com o lançamento da revista Topolino da editora Nerbini, com pranchas por Giove Toppi, contudo, a licença da editora foi considera invalida, a solução foi mudar o nome para Topo Lino na terceira edição, com rato de mesmo nome desenhado por Toppi, na sexta edição, Mickey volta a aparecer no título e na seguinte, publica tiras de Gottfredson e locais por Angelo Burattini e Gaetano Vittelli, em 1935, a revista passa a ser publicada pela Mondadori, em 1942, por conta da proibição do regime fascista (que como disse anteriormente, havia proibido a importação de Flash Gordon em 1938) a editora teve que trocar o personagem por Tuffolino, um humano que parecia com o Mickey por Federico Pedrocchi (roteirista de Saturno contro la Terra) e Pier Lorenzo De Vita (que ilustrou Saturnin Farandol, também roteirizado por Pedrocchi, publicado na revista entre 1938 e 1940), a revista publicou outros materiais e foi cancelada em 1943, voltando com a ser publicada em 1945, com o fim da Segunda Guerra, pode publicar os personagens Disney, em 1949, a Monadori cancela a revista no formato tabloide e relança com um novo formato, com a escassez de papel, a editora optou por publicar no mesmo formato da revista Reader's Digest, que também foi publicada pela editora, o formato é conhecido como "digest size, para fins de registro as duas são divididas em "Topolino giornale e Topolino libreto.

No Brasil foi introduzido na revista O Pato Donald #22 (1952), sendo conhecido como formato pato e logo depois como formatinho.






Links


Il Gatto Nip di Guasataveglia


Il Popolo di Roma - Inducks


Gioave Topp - Papersera


Mio Miao/Julius- Inducks

Topolino (giornale) - Inducks

Topolino (libreto)- Inducks

Homer - Inducks

Julius the Cat - Wikipedia

Guglielmo Guastaveglia - Lambiek

Inkblot Cartoon Style - Tv Tropes


Zé Carioca e as lendas urbanas

80 anos de quadrinhos Disney

Gato Félix, Carlito, Mickey, O Gordo e o Magro por J. Carlos


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Cavaleiro da Lua em mangá

Uma postagem do quadrinista Jean Sinclair, colunista do site Multiversos Nerd, no Facebook mostrou mais uma tentativa da Marvel no Japão.

Como se sabe, em 1978, a Marvel licenciou o Homem-Aranha para uma série de televisão live-action ou tokusatsu como também são conhecidas essas produções no Japão, conforme comentei em outra postagem, essa série gerou mangás nas revistas TV Land , Tanoshī Yochien, TV Magazine (da editora Kodansha) e Bōken'ō (da editora Akita Shoten). Contudo, a Marvel tinha planos de licenciar mais personagens para a editora como Homem 3-D, Surfista Prateado e Cavaleiro da Lua, um concept art produzido por Ryu Nigouchi (famoso designer da Toei Company, além de trabalhos com Shotaro Ishinomori e Go Nagai) apresentou o visual do Cavaleiro da Lua, essa versão do herói foi comparado com outro herói japonês, o Gekko Kamen (algo como Máscara da Lua), surgido numa série de TV em 1958 e foi adaptado para os mangá por Jiro Kuwata, o cocriador de Oitavo Homem e também res…

O mangá da série Fundação de Isaac Asimov

Isaac Asimov (1919-1992)  foi um dos escritores de ficção científica mais prolíficos de todos os tempos, formado em bioquímica, também foi um conhecido divulgador científico.

Em 1939, começou a publicar em revistas pulps, histórias de robôs, que logo se tornariam conhecidas por causa das Três Leis da Robótica, criadas por ele e o editor John W. Campbell, em 1942,  iniciou uma nova série chamada Foundation (Fundação em português), inspirado no livro The History of the Decline and Fall of the Roman Empire (A História do Declínio e Queda do Império Romano) de Edward Gibbon.

Inicialmente, a série eram apenas oito contos publicados entre 1942 e 1950 na revista Astounding Magazine (antes chamada de Astounding Magazine e atualmente conhecida como Analog Science Fiction and Fact), na série, o matemático Hari Seldon cria a psico-história, um misto de matemática, sociologia e história para fazer previsões futuras.



Em 1950, Asimov publica seu primeiro romance completo, Pebble in the Sky (No Bras…

Os quadrinhos de Caverna do Dragão

Em 1983, a Marvel Productions lançou uma adaptação animada do primeiro RPG de mesa da história, Dungeons and Dragons. A empresa foi formada em 1981, após a Cadence Industries Corporation (dona da Marvel na época), comprar o estúdio DePatie-Freeleng.

A série foi criada após a CBS recusar o projeto Sword and Sworcery da própria Marvel Productions, a solução foi conseguir uma licença com a TSR Inc, a editora ainda lançaria adaptações de Conan, tanto em adaptações para D&D (1984), quanto em um sistema próprio (1985), na época, licenciado pela Marvel e Marvel Super Heroes RPG (1984), que usava um sistema próprio chamado FASERIP system.

A série teve 27 episódios distribuídos em 3 temporadas.

Nos Estados Unidos, a série gerou diversos produtos licenciados, exceto revistas em quadrinhos, embora em 1981, a própria Marvel havia publicado anúncios do RPG Dungeons and Dragons em forma de páginas de quadrinhos (assim como ocorreu com G.I. Joe, que anos depois, ganharia uma revista pela própri…