Pular para o conteúdo principal

Marvel made in Itália




Em 1981, a editora italian Monadori (na época conhecida por publicar quadrinhos Disney) publicou o  o one-shot Octopus sfida L’Uomoragno, escrito por Franco Fossati, roteirista conhecido por quadrinhos Disney e desenhado pelo brasileiro Wilson Viera através do estúdio Staff de If de Gianni Bono, o estilo utilizado remete ao de John Romita Sr.



Em 1994, a Marvel cria uma divisão italiana, Marvel Italia, tal qual ocorreu no Reino Unido com a Marvel UK. Tal qual a Marvel UK, que lançou personagens para o mercado local como Captain Britain (conhecido como Capitão Bretanha ou Britânia no Brasil), criado por Chris Claremont (roteiro) e Herbie Trimbe (desenhos) e o robô Death's Head para série Transformers da Hasbro criado por Simon Furman (roteiro) e Geoff Senior (desenhos), que depois apareceria em outras histórias, a Marvel  Itália lançou em 1996 a revista Europa com duas séries Gemini roteirizada por Francesco Meo e Giorgio Lavagna, desenhado por Fabrizio Ugolini e Euroforce, roteirizada por Xavier Marturet e desenhada por Paco Diaz, a revista teve cinco edições, ambas séries seguem o chamado estilo Image criado por artistas como Jim Lee, Rob Liefield e Todd McFarlane, ex-funcionários da Marvel que fundaram a editora Image, Lee e Liefeld ainda voltaria a Marvel para a série Heroes Reborn (Heróis Renascem no Brasil), onde reimaginavam os heróis Quarteto Fantástico, Capitão América, Hulk e Homem de Ferro, posteriormente, Lee venderia seu selo WildStorm para a DC, tornando-se desenhista e editor da mesma, diferente de Liefeld e  McFarlane, Lee não havia trabalhado para a DC.
Em 2014, surgiu um novo grupo Euroforce publicado pela Marvel americana em Avengers World #8, roteiro de Nick Spencer e desenhos de Marco Checchetto.




Ainda em 1994, a Marvel compra a Panini, em 1995, a Panini compra a Marvel UK (atualmente conhecida como Panini UK), em 1999, a Marvel vende a Panini para a empresa italiana Fineldo Spa, apesar da venda, a Panini torna-se distribuidora da Marvel ao redor do mundo (menos nos Estados Unidos, Canadá e México). A editora entrou no mercado brasileiro em 1988 em uma parceria com a Editora Abril (conforme mencionei em outro texto, a Abril tem raízes italianas), atuando no mercado de álbuns de figurinhas, em 1995, a Panini comprou a parte da Abril, em 2002, a editora resolveu publicar os quadrinhos da Marvel no país, contrato a Mythos, que tem Hélcio de Carvalho, ex-funcionário da Abril e criador da agencia de desenhistas Art&Comics, no final do mesmo ano, assume a licença da DC, em 2007, torna-se a editora da Turma da Mônica da Maurício de Sousa Produções.



Em 2004, a Panini resolveu publicar uma outra história local do Homem-Aranha: L'Uomo Ragno - Il segreto del vetro, roteirizado por Tito Faraci, um prolífico escritor que trabalhou com os principais quadrinhos italianos, como os da Disney, Bonelli (Tex, Martin Mystère, Zagor, Nick Raider e Magico Vento) e Diabolik), a história foi desenhada por Giorgio Cavazzano, que trabalhou com Faraci em quadrinhos Disney e em Jungle Town, além franquias distintas como a franco-belga Pif et Hercule (mais conhecida no Brasil por um desenho animado com o título adaptado como Spiff e Hércules) e até mesmo de Angry Birds, famosa franquia de jogos para celular.








Em 2006, foi a vez de Devil & Capitan America - Doppia Morte, história protagonizada por Demolidor e Capitão Améria desenhada por Claudio Villa, conhecido por desenhar para Bonelli os personagens Dylan Dog, Martyn Mystere, Tex e Nick Raider.



Em 1988, a Mondadori havia perdido a licença da Disney, que passou a ser publicada pela Disney Italia, em 2009, Disney compra a Marvel, contudo, isso não mudou a situação da Panini e em 2013, passou a publicar quadrinhos Disney na Itália, no Brasil, a editora continua sendo a Abril.




Fontes e referências


Europa Vol 1 - Marvel Wikia
John Romita? No Wilson Vieira
O Homem-Aranha- Itália - ilustrações e capa - Wilson Viera
L’Uomo Ragno: Il segreto del vetro
Demolidor e Capitão-América - Dupla Morte
Conheça a Panini - A Marvel italiana
L'Uomo Ragno - Il segreto del vetro
Gemini - International Heroes
Euroforce - International Heroes
Baby Killer - Marvel Universe: The Appendix
Euroforce - Comic Vine
Adeus, ano velho...
O retorno do formatinho à Editora Abril

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cavaleiro da Lua em mangá

Uma postagem do quadrinista Jean Sinclair, colunista do site Multiversos Nerd, no Facebook mostrou mais uma tentativa da Marvel no Japão.

Como se sabe, em 1978, a Marvel licenciou o Homem-Aranha para uma série de televisão live-action ou tokusatsu como também são conhecidas essas produções no Japão, conforme comentei em outra postagem, essa série gerou mangás nas revistas TV Land , Tanoshī Yochien, TV Magazine (da editora Kodansha) e Bōken'ō (da editora Akita Shoten). Contudo, a Marvel tinha planos de licenciar mais personagens para a editora como Homem 3-D, Surfista Prateado e Cavaleiro da Lua, um concept art produzido por Ryu Nigouchi (famoso designer da Toei Company, além de trabalhos com Shotaro Ishinomori e Go Nagai) apresentou o visual do Cavaleiro da Lua, essa versão do herói foi comparado com outro herói japonês, o Gekko Kamen (algo como Máscara da Lua), surgido numa série de TV em 1958 e foi adaptado para os mangá por Jiro Kuwata, o cocriador de Oitavo Homem e também res…

Os mangas de Tarzan

Os quadrinhos franco-belgas de Lucky Starr, série juvenil de Isaac Asimov

Em 1951, o agente literário e escritor Frederik Pohl e o editor Walter Bradbury procuraram Isaac Asimov e sugeriram que ele criasse uma série infanto-juvenil para ser adaptada para a televisão, temendo ficar marcado por essa série, o escritor resolveu usar o pseudônimo Paul French (Paul francês em português), a série foi inspirada em Lone Ranger e o primeiro livro lançado no ano seguinte com o título David Starr, Space Ranger (As Cavernas de Marte no Brasil) pela Doubleday, em 1953, lançou Lucky Starr and the Pirates of the Asteroids, contudo, a série de TV nunca foi lançada, uma vez que em 1954 surgia a série de TV  Rocky Jones, Space Ranger, que inviabilizou o projeto.





O primeiro romance foi uma espécie de space western ou faroeste espacial, sendo inspirado no Lone Ranger, o personagem David Starr (cujo apelido era Lucky) usava inclusive uma máscara e era conhecido como Space Ranger, o romance foi ambientado em Marte, embora fosse uma obra juvenil, a descrição do planeta Vermelho foi…